Passar para o Conteúdo Principal Top
Mostrar links rápidos
Câmara Municipal de Murça
Hoje
Hoje
Amanhã
Amanhã

Câmara de Murça combate praga que afeta castanheiro

Câmara de Murça combate praga que afeta castanheiro
33163100_1398311680314324_331170776277319680_n
33181646_1398311860314306_4659644250319749120_o
33184082_1398311400314352_8346071228015968256_n
33192619_1398311356981023_1606693685716582400_o
33232485_1398311773647648_942018677430026240_n
33232555_1398311220314370_2349132164978704384_o
33234778_1398311833647642_5798950742958014464_n
33245625_1398311540314338_7267598944216023040_o
33248996_1398311726980986_6330702827035295744_o
33299876_1398311250314367_7994708161212710912_o
33308231_1398311386981020_5083279925813706752_o
33356333_1398311650314327_5017715476218773504_o
33396695_1398311576981001_4258724532300283904_o
33398394_1398311506981008_2905089417720889344_n
23 Maio 2018

A Câmara municipal de Murça iniciou, hoje, dia 23 de Maio, uma ação de luta biológica contra a vespa-das-galhas-do-castanheiro, praga que afeta a produção de castanha no Concelho.

Esta ação coordenada pelo Presidente da autarquia Mário Artur Lopes e pelo Vice-Presidente António Luís Marques, teve início na Terra Fria de Murça. com a largada do parasitoide, Torymus sinensis, que irá combater a vespa-das-galhas-do-castanheiro, Dryocosmus kuriphilus.
De salientar o esforço financeiro do Município na realização destas largadas, que serão efetuadas noutros Zonas do Concelho onde se verifica a existência de soutos afetados. Esta é uma forma decisiva de apoiar os produtores do concelho.
A Associação Florestal do Vale do Douro Norte e o Gabinete Técnico Florestal trabalharam de forma ativa nesta iniciativa que foi concertada com a REFCAST- Associação Portuguesa da Castanha e com a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte.
A vespa-das-galhas-do-castanheiro, é originária na China e foi identificada pela primeira vez no Concelho de Murça no ano 2017. É uma praga que prejudica a cultura do castanheiro, causando a formação de galhas nos gomos e nas folhas, provocando a diminuição do crescimento dos ramos e impedindo a frutificação, resultando em elevadas perdas de produção de castanha. Em estado muito avançado pode culminar no declínio e morte dos castanheiros.
O combate desta praga consiste em proceder à largada do parasitoide, que se alimentam das larvas. É fundamental faze-lo enquanto as galhas ainda estão muito tenras para que os resultados sejam os mais eficazes. Esta é a única forma de combate eficaz, não causando qualquer impacto em termos ambientais nem na biodiversidade. Porém é importante ressalvar que este parasitoide não irá extinguir a praga, mas sim controlá-la, minimizando os seus efeitos negativos uma vez que se trata de uma luta biológica.