Passar para o Conteúdo Principal Top
Mostrar links rápidos
Câmara Municipal de Murça
Hoje
Hoje
Amanhã
Amanhã

Visita dos deputados do PS a Murça: Em defesa do Tribunal e do interior

Visita dos deputados do PS a Murça: Em defesa do Tribunal e do interior
17
dep1
dep2
dep3
dep4
dep5
dep6
dep7
dep8
dep9
dep10
dep11
dep12
dep13
dep15
dep16
24 Fevereiro 2014

Na passada sexta-feira, os deputados eleitos pelo círculo eleitoral do distrito de Vila Real pelo Partido Socialista, visitaram o Tribunal de Murça, um equipamento moderno e propriedade do Ministério da Justiça, construído na década de 90, que custou aos cofres do estado 2,5 milhões de euros e que segundo o Governo encerra portas já em setembro.

Na sequência das notícias vindas a público nos últimos dias, os deputados Pedro Silva Pereira e Agostinho Santa, acompanhados por José Maria Costa, presidente da Câmara Municipal de Murça, tiveram a oportunidade de visitar as instalações do tribunal de Murça, onde também funciona a repartição de finanças, o cartório e a loja do cidadão de terceira geração, onde manifestaram a sua solidariedade com a população de Murça perante a ameaça constante de encerramento de serviços no concelho.

População mais longe dos serviços públicos e pior prestação ao público são as preocupações do presidente da Câmara de Murça, José Maria Costa, perante aquilo que se diz ser “a vaga de encerramento de serviços e o fechar da porta dos territórios do interior”. José Maria Costa não esconde o seu descontentamento e preocupação com esta medida do Governo Português. “Nós, no interior, estamos a ser confrontados com medidas que não favorecem a fixação das populações. Murça é um território atrativo e aquilo que cá temos e que nos pode ajudar é fundamental para o nosso desenvolvimento, nomeadamente o tribunal e outros serviços. Esta questão é uma agonia para as pessoas. São postos de trabalho que se perdem e com os quais os munícipes estavam habituados a lidar. Tenho dúvidas sobre a qualidade dos serviços alternativos pela tutela”, afirmou.

O autarca de Murça alertou os deputados pelo facto de o número de processos existentes no tribunal de Murça excede os 250 por ano, questionando-se desde logo pela base a aplicação desta medida. Com o encerramento do tribunal todos os cidadãos e empresas de Murça que pretendam recorrer à justiça terão que passar a fazê-lo em Alijó, Vila Real, ou Chaves, acarretando com todos os custos de deslocação e suportando todos os inconvenientes que daí decorrem.

Também autarcas socialistas de outros concelhos da região, fizeram questão de marcar presença em Murça, Orlando Alves, presidente da Câmara de Montalegre, Rui Santos, presidente da Câmara de Vila Real, Alberto Pereira, presidente da Câmara de Mesão Frio e José Marques, presidente da Câmara de Sabrosa, estes dois últimos concelhos do distrito que também vêem os seus tribunais encerrados. Para além de José Maria Costa, também os vereadores Raul António Luís e Ana Paula Cruz estiveram presentes. A Assembleia Municipal fez-se representar pelo seu presidente, João Teixeira, e pela secretária da mesa, Edite Sousa. A acompanhar a delegação socialista, estiveram ainda representantes dos advogados de Murça.