Passar para o Conteúdo Principal Top
Mostrar links rápidos
Câmara Municipal de Murça
Hoje
Hoje
Amanhã
Amanhã

A Freguesia de Candedo

imagemA freguesia de Candedo encontra-se na parte sul do concelho de Murça, muito perto do vizinho concelho de Alijó.

O remoto povoamento da área em que atualmente se situa a freguesia pode ser comprovado através de uma série de vestígios arqueológicos.

Castelo de Porrais, conhecido também, localmente, como Alto da Torre ou Alto do Castelo, foi um povoado fortificado da Idade do Ferro. A sua utilização como reduto defensivo prolongou-se pelo tempo e chegou mesmo à Idade Média. Erguido sobre um esporão com excelentes condições estratégicas e ampla visibilidade sobre o vale do Rio Tinhela, era defendido por uma muralha em "pedra seca" de xisto e granito. Uma segunda linha de muralha encontrava-se a uma cota inferior. Não foram muitos os fragmentos cerâmicos encontrados, sendo que os que o foram são de fabrico manual, micáceos e porosos.

A Mamoa da Senhora dos Montes, em Lombo das Colmeias, data do período Neolítico e terá sido utilizada entre quatro mil e dois mil a. C.. O seu diâmetro máximo tem cerca de dezoito metros e a sua altura máxima ronda um metro e vinte. Nota-se uma grande cratera de violação na zona central e muita pedra miúda à volta devido à destruição da couraça pétrea. Servia, como é óbvio, para o enterramento dos mortos.

Da época romana são alguns achados isolados em Caldas de Carlão, na margem esquerda do Rio Tinhela, perto da sua confluência com o Rio Tua. Aqui apareceram, em finais do século XIX, diversos vestígios romanos, como moedas, cerâmicas, uma ânfora e mosaicos. A nascente, que ainda existe e que é conhecida como Fonte Santa, fazem crer que aqui pode ter existido um edifício termal do período imperial.

Articulada com estas termas e, obviamente, com uma estrada a passar no local, era a Ponte de Caldas de Carlão. É uma ponte sobre o rio Tinhela, de um arco de volta perfeita, em granito, com pedra granítica aparelhada. O atual tabuleiro da estrutura, em betão, é de construção posterior.

A Necrópole de Campas do Ladrilho / Serra do Alva data da Idade Média. Foram encontradas no local algumas campas, denominadas localmente como as campas dos mouros, embora sejam de época bem posterior.

É uma freguesia com uma história importante, pois já é referida nas Inquirições de 1220, ordenadas por D. Afonso II. A área em que atualmente se encontra foi abrangido pelo foral concedido a Abreiro em 1225.

Em termos de património edificado, uma palavra para a Capela de Nossa Senhora do Carmo, com os seus três retábulos em talha dourada no interior. Terá sido construída no século XVIII e remodelada em meados do século XX.

Não poderiam deixar de ser referidas, como é óbvio, as Caldas de Carlão, ou de Santa Maria Madalena. As suas águas têm excelentes propriedades terapêuticas a nível das doenças da pele, doenças reumáticas e músculo-esqueléticas, vias respiratórias e doenças do aparelho digestivo.

Também, nesta freguesia, tiveram lugar diversas manifestações culturais. Destacamos a existência de uma Tuna e de um Rancho Folclórico de Monfebres.